CURSO

As imagens do mundo: posições em torno de Harun Farocki,

O curso pretende apresentar a obra cinematográfica e artística de Harun Farocki. Serão privilegiados os problemas que o cineasta investiga no campo da imagem, procurando revelar o impacto das suas estratégias críticas e artísticas na paisagem contemporânea da arte. O curso é oferecido em três módulos, ministrados pelos professores Ednei de Genaro, Hermano Callou e Hernán Ulm.

Módulo I (21/11, 22/11): Ativismos e engajamentos em Farocki

O primeiro módulo pretende apresentar os quatros momentos de ativismo/engajamentos políticos de Farocki: agitprops; a crítica da indústria cultural; as imagens de arquivo e ensaísmo; os vídeos de   observação biopolíticos e instalações. Demarcaremos assim uma discussão sobre a trajetória e  influências das estratégias críticas do cineasta.

CV: Ednei de Genaro é doutorando em Comunicação pela UFF. Mestre em Sociologia Política. Integrante do grupo Kumã (Lab. de pesquisa e experimentação em imagem e som – Cinema/PPGCom/UFF). Realiza tese sobre Harun Farocki, como pensador e arqueólogo das mídias.

Módulo II (23/11, 28/11): O arquivo dos gestos

O segundo módulo pretende apresentar a arqueologia dos gestos de Harun Farocki. A gestualidade enquanto problema cinematográfico: a produção, sobrevivência e montagem dos gestos nos filmes de arquivo, documentários observacionais e instalações do cineasta. As filiações de Farocki: o gesto em Brecht, Warburg e Flusser.

CV: Hermano Callou é jornalista, pesquisador de cinema, curador e mestrando em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Entre 2008 e 2012, foi organizador e curador do Cineclube Dissenso no Cinema da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), em Recife. Atualmente, desenvolve pesquisa sobre Harun Farocki.

Módulo III (29/11, 30/11): A montagem e a construção do olhar

Imagens do poder e poder das imagens: uma critica pela montagem. Sob que condições  o olhar é produzido. Os entremeios do olhar. A montagem-interrupção: contra a continuidade da visão, a descontinuidade do intervalo. Uma verdade que não tem nome. O ponto cego do olho: o que fica fora de toda imagem: visibilidade e legibilidade.

CV: Hernán Ulm é Mestre em Filosofia Contemporânea pela Universidade Nacional de Salta. É professor de Estética e Historia das Artes e tem pesquisado as relações entre estética e política com foco no cinema nas obras de Lucrecia Martel, Albertina Carri, Harum Farocki, dentre outros. Tem publicado os livros: “Historia, ética y actualidad en Michel Foucault” e “Cuestión de imagen”.

Período: de 21 a 23 de novembro e de 28 a 30 de novembro.

Horário: 18h30. Cinemateca do MAM. Inscrições no local do curso.

Certificado para aqueles com o mínimo de 70% de presença.

Anúncios